A Casa

Em 1997, Marina, a proprietária do karaokê, residindo em São Paulo, estava a caminho de Morretes para visitar o pai e passando pela cidade de Curitiba, exatamente na avenida Getúlio Vargas, pensou "Um dia terei um comércio nessa rua". Nunca havia visto uma cidade tão limpa e organizada.

Os anos se passaram e ela se esqueceu.

Nessa época ela era proprietária do maior e mais famoso karaokê de São Paulo, o Videokê Club Franz Schubert, freqüentado pelas celebridades da capital paulista.

Por um desses acasos da vida, foi obrigada a fechar as portas do karaokê.

O fato é que o proprietário do espaço recebeu uma proposta irrecusável de uma das maiores construtoras de SP e o karaokê não tinha como cobrir o valor para comprar o prédio.